Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Diva do Sofá

Porque gostamos de ver filmes e séries, mas quer em casa, quer no cinema o importante é estarmos bem instalados.

A Diva do Sofá

Porque gostamos de ver filmes e séries, mas quer em casa, quer no cinema o importante é estarmos bem instalados.

Porque gostamos de ver filmes e séries sempre bem instalados.

A não perder: A Discovery of Witches (A Descoberta das Bruxas)

DDS_blogue.png

 

Não foi bem a primeira, nem a segunda série que aproveitei para ver assim que me registei na HBO e na verdade, a modos que tropecei nela porque não sabia muito bem o que é haveria de ver, mas digo-vos uma coisa; ainda bem que tropecei nela porque adorei série, adorei os actores, adorei o enredo e adorei o facto desta se passar em vários países da Europa (apesar de que a malta fica com a sensação de que viajar de Londres para Itália, ou para França é super-rápido). 

 

Temos então a história de uma professora universitária que foi convidada para fazer uma palestra sobre alquímia em Oxford e depois, assim como assim, aproveita para avançar um bocadinho mais na sua investigação académica sobre o tema. Detalhe da coisa... a moça é uma bruxa (literalmente), que por medo nunca usou os seus poderes, as bruxas existem, os vampiros existem embora não no seu modelo clássico e tradicional e os demónios também existem, mas também não exactamente na sua versão clássica. Basicamente, o problema é que estas espécies estão a extinguir-se, os seus poderes estão a diminuir e a desaparecer e as coisas já não são o que eram. Daí que haja alguma preocupação em torno da conservação das mesmas.

 

É neste contexto, que a nossa bruxa académica, de seu nome Diana Bishop e interpretada pela a actriz Teresa Palmer , vai à biblioteca da Universidade requisitar um livro para continuar a investigação para o seu artigo e pronto, requisita-o. 

 

Problema: O livro não é um livro qualquer e inclusive está alegadamente desaparecido há séculos. A partir daqui a nossa intrépida heroína vai fazer uma série de novos amigos, embora uns sejam mais amigos do que outros e todos queiram o livro. O primeiro amigo que ela faz é o Professor Matthew Clairmont, interpretado pelo actor britânico Matthew Goode (conhecido por entrar em séries como Downton Abbey ou The Crown) e este rapaz parece ter dois azares na vida:

 

1º É francês;

2º É vampiro.

Infelizmente, quanto ao primeiro azar não há muito que se possa fazer, é um acidente geográfico. No que respeita ao segundo azar, na verdade isto pode ser visto pela positiva e considerado como uma espécie de upgrade pese embora tenha algumas inconveniências. Seja como for, pronto o rapaz está preocupado com o despencar da sua espécie e está muito interessado no livro... imensamente no livro. 

 

Moral da história: Os livros são mesmo lixados.

 

Tirando isso, esta série a baseada na trilogia das Almas da autora Deborah Harkness e cujo o primeiro livro é A Descoberta das Bruxas.

 

 

A Discovery of Witches (2018– ) on IMDb

E também tenho estado a ver - You (a.k.a Tu)

DDS_blogue.jpg

Pois é verdade, também tenho estado a ver esta série que não é mais do que o típico boy meets girl and then shit happens, mas com um twist interessante porque o enredo é contado na perspectiva de um psicopata. Então, mas porque é que só agora é que estou a falar nisto? A razão é simples, porque - por sinal - o mulherio anda todo caídinho pela personagem principal que é o Joe Goldberg, interpretado pelo actor Penn Bagdley. 

 

Ora bem... pessoal do sexo feminino... tenham algum tino nesse conjunto de ervilhas a que chamam cérebro. O actor interpreta bem o personagem, mas o personagem é um psicopata e por norma todas as perturbações da mente que terminam em "pata", não são boa onda por muito romantizadas que possam parecer. Não se tratando de um filme de terror, o primeiro episódio desta série deixou-me arrepiada não pelo facto da criatura principal ser um bocado perturbada, mas pela retratação do objecto do seu interesse que é a Beck (interpretada pela actriz Elizabeth Lail). A Beck, não é ninguém e é toda gente. Representa apenas uma cidadã anónima, livre e despreocupada, que coloca a sua vida nas redes sociais e a partir do momento em que entra numa livraria torna-se em algo apetecível para alguém que tem uns probleminhas. A partir daqui começa a dança do cerco, que mais dissimulado menos dissimulado, mais romântico menos romântico não deixa de ser um cerco que se vai apertando em torno do objecto.

 

No fundo o que esta série explora é uma relação entre um predador e uma presa, sendo que a diferença entre esta e um documentário da BBC sobre vida selvagem é, acima de tudo, o facto de que os intervenientes têm 2 patas em vez de 4. É no entanto, uma série interessante quando se olha criticamente para os aspectos nela retratados, mas não é - definitivamente - uma história de amor que vá terminar bem (ainda que eu não tenha visto todos os episódios da 1ª temporada)... a não ser que comecem a abardinar a história toda por causa da pressão das audiências. 

 

Pronto, esta é a minha opinião, mas vale a pena formarem a vossa. 

 

You (2018– ) on IMDb

E o que é que tenho estado a ver?????

DDS_blogue.jpg

 

Sim, sim, tenho estado a ver a 2ª temporada do The Punisher

Sim, é absolutamente brutal a todos os níveis e este Frank Castle, interpretado pelo actor Jon Bernthal, está um espectáculo (e não tem nada a ver  com a interpretação dele no início da série Walking Dead). 

Não, não vou fazer uma review super intelectual e altamente elaborada porque não só não me apetece, como também, há uma montanha de críticos de cinema e séries de televisão que fazem isso e adoram ouvir-se a eles próprios, tipo Narciso a fazer festinhas ao espelho. Eu, não quero saber disso para nada, ou gosto ou não gosto. É só. 

 

Também já vi a série Titans e já tinha começado a ver a série You, mas destas 2 falarei noutros posts. Por agora, o trailer da 2ª temporada do The Punisher é este:

 

 

 

O Justiceiro (2017– ) on IMDb

Cenas giras para ver na Netflix - Titans

titans-logo.jpg

 

É verdade que tenho andado sem muita inspiração para escrever, mas ontem deparei-me com algumas séries novas na Netflix que eu achei que devem ser interessantes e como tal vou ver. 

 

Uma delas é esta: Titans, basicamente inspirada nos Novos Titãs da DC Comics. Pessoalmente, sou mais Marvel e consequentemente mais X-Men, mas também não sou avessa ao Universo DC Comics que tem super-heróis igualmente interessantes. Assim sendo, como a temática é Ação, Aventura, Ficção Científica, Super-heróis e coisas afins, então eu alinho porque gosto do tipo de universo.

 

Esta série estreou nos E.U.A em Outubro de 2018, a 1ª temporada é composta por 11 episódios e aparentemente já foi renovada para uma 2ª temporada, o que pode ser um bom ou um mau indicador, mas a IMDB diz que tem uma classificação de 8.3 e como tal não deve ser má de todo. Seja como for vi o trailer e achei que devia ser engraçada, por isso vou ver. 

 

 

 

Titans (2018– ) on IMDb

Winter is here.

Screenshot_2019-01-02-13-15-30.png

Após uns meses de preguiça, estava eu a pensar no que é que havia de escrever para começar o ano de 2019 quando eis que me deparo com algo importante no instagram... de vez em quando aparecem coisas importantes no instagram... além do Rei Leão, 2019 é o ano de regresso do Game of Thrones.

Pesquisar

 

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

A Diva no Blogs Portugal

Bloglovin

Follow

Mensagens

Outros

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D

Divas que andam por aí

IP Address
Unique Hits