Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A Diva do Sofá

Porque gostamos de ver filmes e séries, mas quer em casa, quer no cinema o importante é estarmos bem instalados.

Porque gostamos de ver filmes e séries sempre bem instalados.
Qui | 15.09.16

Da série "Shooooo! Go home now"

Helena R. Moisio

Ontem à noite, já depois de mais uma visita, a outra toca de outro hobbit (pese embora, esta com um ar muito mais simpático do que outras que tenho visto e com uma fauna circundante mais agradável também), dei de caras com uma notícia no Jornal Público que dizia: "Alfama quer manter a alma lisboeta livre da invasão de casas para turistas"

 

NoTourist.PNG

 

Livre da invasão de casas para turistas e livre dos próprios dito cujos, diria eu porque não há paciência para transportes públicos cheios destas criaturas. No entanto, como me sinto generosa, até vou fazer o favor de tolerar a fauna, temporariamente, importada a passarinhar por aí e fingir que não causam constrangimentos na via pública.

 

Pessoalmente, subscrevo - a 300% - as palavras do autarca da freguesia de Santa Maria Maior e acho que esta preocupação devia estender-se a outras freguesias do concelho de Lisboa, porque não é normal o que está a acontecer. O sector da hotelaria & turismo tem agentes próprios autorizados a operar neste sector, as agências imobiliárias não são operadores turísticos nem têm de ser sob pena de estarem a desvirtuar aquilo que é a natureza do seu negócio (e não me venham com o argumento que arrendamento é arrendamento) . Esta merda não é, nem deve ser, um Algarve gigante em que cada marmelo, que tem uma barraca não-sei-aonde, arrenda a um outro estropício - que se empenha a até às orelhas - para uma vez por ano ir confratenizar com mais 500 mil pessoas, todas juntinhas, num quadradinho que se chama praia de Albufeira.

 

Para quem anda à procura de casa em Lisboa, uma das coisas mais aflitivas é abrir os portais de pesquisa de imóveis e começar logo a dar de frente com "apartamentos de charme" todos equipados e mobilados, de 12 m2, 150 euros por dia... Só lhe falta mesmo serem robotizados e arrumarem-se sozinhos. 

 

O resultado prático, destas brincadeiras em torno da exploração do mercado do turismo, é o inflacionamento completamente desregrado e selvagem dos preços dos imóveis em geral. Por isso sim, penso que é necessário começar a impôr alguma ordem no tasco via legislação uma vez que a existente não parece ser suficiente.