Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A Diva do Sofá

Porque gostamos de ver filmes e séries, mas quer em casa, quer no cinema o importante é estarmos bem instalados.

Da recente polémica em torno da Porto Editora

24.08.17 | A Diva do Sofá

DDS_blogue_SaraHerranz.jpg

 

Tenho visto, ou neste caso lido, uma enorme quantidade de disparates acerca da polémica sobre os livros de actividades para meninas e para rapazes, por isso eu resolvi partilhar a minha opinião acerca deste assunto com a ilustração da Sara Herranz para a a 190º The Magazine

 

No dia em que estalou a polémica, o meu marido - como bom finlandês que é - perguntou-me: "O quê? Mas vocês ainda andam a discutir isso?"

 

Eu, encolhi os ombros e respondi-lhe: "Aparentemente". 

 

Enquanto isso, perguntavam-me no meu mural do facebook: "Mas o que é que se passa na cabeça destas pessoas?"

 

" Ora bem... a mim parece-me que não passa nada porque o ratinho que faz a rodinha girar deve ter fugido para parte incerta e sem aviso prévio." Respondi. 

 

Na verdade, eu não tenho nada contra os livros da Porto Editora, nem contra a atrasadice mental que grassa por aqueles cérebrozinhos do tamanho de uma amíba. Todos temos o direito a ser idiotas uma vez por outra, no entanto atentem que se trata apenas de um direito e não de uma obrigação. 

 

Eu nem sequer me vou dar ao trabalho de me pronunciar sobre a aberração e o insulto que, para mim e para a minha inteligência, são aqueles livros, mas preocupam-me seriamente os disparates que as "Evas" neo-feministas vão vomitando por aqui e por ali, escudando-se cobardemente atrás de princípios democráticos e constitucionais -  como o direito à liberdade de escolha -  mas ignorando que a Constituição da República Portuguesa contempla também outros princípios tão importantes quanto esse e pressupondo sempre que o exercício de cada um deles implica o respeito pelos demais.  

 

Por isso, sim. Eu tenho alguns problemas com alguns disparates que alguns fazedores de opinião vão dizendo por aí, porque apesar do discurso parecer bastante bem articulado, só funciona até começar a desmontá-lo.